sexta-feira, 4 de março de 2011

Em pauta


temo
a solidão
pela frente
e só não digo
que esse medo
surgiu
de repente
porque
desde sempre
a cada chamada
em meu nome
ele respondeu


presente.

14 comentários:

Margot disse...

Salve Mestre!
Excelente poesia! Gostei muito
do projeto do blog.

Quando tiver um tempo: fazendeirodoar.blogspot.com

Patricio Jr disse...

Salve Mestre!
Excelente poesia! Gostei muito
do projeto do blog.

Abçs

Quando tiver um tempo: fazendeirodoar.blogspot.com

P.S: Ainda nao virei Margot. Minha mãe que esqueceu de fazer o logoff da conta dela no google.

Tião Martins disse...

Rs, realmente pensei que vc havia mudado de sexo, mas, com tantos anos de magistério, já vi tanta coisa que nem me surpreendi.
Bom que vc gostou do Poemadia. É um espaço muito legal e que conta com a participação de ótimos poetas. Vou visitar seu blog sim. Abraços!

Kiro Menezes disse...

Ahh solidão demente...
Deixa em paz esse coração ardente
cedente de tanta beleza...
deliciosa proeza
que encanta toda gente...

Henrique Pimenta disse...

é um jogo
mas não di
verte

Tião Martins disse...

a poesia
não tem
autoria
deve

ou devia

ser
os juros
que pagamos
pela dívida
bruta
do dia-a-dia.

Rosa Matttos disse...

esse finalzinho aí ficou bem bolado/! mto espertinho você...rs

Tião Martins disse...

Beleza Rosa. Há anos que não sou chamado de espertinho... rsrsrsr.

rogerio santos disse...

super bem sacada Tião !

Abraços,
Rogerio

Tião Martins disse...

Obrigado Rogerio! Abraço grande e bom carnaval!

Lipe Marques disse...

Verde seu texto, Sebastian!

bjo e abs!

Tião Martins disse...

Abraço felipe! saudações momescas!

Joe_Brazuca disse...

até quando ?

porrada...

(aliás, tudo seu é porrada...rs)

bom !

Tião Martins disse...

Não sei, Joe... mas como poetar sem um martelo? hahahahh!!!