sexta-feira, 15 de maio de 2009

Memória do sentimento



Uma voz de cor negra
Pode ser da empregada da infância

Um cheiro de quintal
Cheio do cheiro de quem ali estava

Uma melodia maternal
Mas pode ser do filme que vi ontem.

A memória é meio devassa
Lima, confirma, ameaça

Faz chorar por pessoas,
Não pelo que elas são

Mas por aquilo
Que um dia representavam.

Uma convulsão que arrebata
Que não trabalha bem com data

Que te põe sempre fora
Pra tudo parecer retrato

Que põe num cômodo vazio
Um sentido de plenitude

Que enche a palavra saudade
Do sentimento que a explica

Que me faz ansioso por um futuro
Apenas pra dele guardar as lembranças

Que me coloca em posição indesejada
Sempre em atraso com a vida

Mais preocupado em senti-la
Do que, de fato, vivê-la.

15 comentários:

celina vasques disse...

LINDISSIMO!
AMEI!
BEIJOS MEUS!

samuca santos disse...

memória é isso mesmo, cumpade...
valeu o texto, belo, mexeu com o nego véio.
para béns!

Rebeca disse...

Cara, mandou muito bem! Mavilhoso! Parabéns.

Mara faturi disse...

....precisamos inventar lugares e coisas ( sentimentos?) para esses lugares, às vezes...altares, outras...curral;essa ansiedade de sentir a vida é fardo de poeta, que ao escrever; Vive...
estou gostando do que leio por aqui,
abraço!

Benny Franklin disse...

Bem poético, Tiago, de prima!

Adriana Godoy disse...

Bonito, rico em significados e muito poético. Gostei.

Fábio Leão disse...

Chega a dar um nó na garganta. Belíssimo, meu caro.

L. Cláudio disse...

Extraordinário, se não no campo da inventividade da palavras, pelo sentimento que evoca na gente. Muito bom, poeta!

L. Rafael Nolli disse...

Poema redondinho, com fluidez! Muito bom, sobretudo por esse tom evocativo!

Benilton Cruz disse...

Com esse poema, você dá palavra a coisas do sentir. Um poema que a gente reconhece nas coisas que repercutem no corpo.

Tião Martins disse...

Tenório, memória e força. Esse cara é bom...

Henrique Machado disse...

Muito bom pela emoção que causa na gente. Parabéns!

Rachel disse...

Lindo, lindo! Falou tudo por nós.

Anônimo disse...

Muito bom o poema companheiro, valeu pelo comentário ao meu poema.

abs
Flávio Machado

Silvia disse...

Que poema tocante... Faz contato com a memória de quem lê e mexe com a gente... Belíssimo!

Silvia