segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

VIAGEM DE BUSCAR

Fotografia By Ana Mokarzel

[Dedicado às memórias de "Sócrates" e "Léo" - dois paraenses da gema]




Era viagem ao centro de Mim
e ocorreria entre granitos e vômitos
― mas estive em pânico
para ir viajar tão cedo sob ameaça de terminar o namoro 
   como um encurtado quartzo
                          em gôzo.

Não fosse o poema
[sombrear-se] em pedaços
Eu prostrar-me-ia aos pés de um fogoso estofo de vida
pelo muito fogo que gala...

E dar-me-ia a posição de Lótus 
                         para as pernas
antes do Sol 
  que tende a coagular-se...

E beijaria as mangabas do cajueiro, 
           a cuba
da geleira manufaturada que nem madrepérola
                                              desvirginada...

E afrontaria o ânimo da foice,
o aço cirúrgico do bacio broxado,
o após-roxo da fala 
que apenas com o fantasma do medo
[im]pediu-me
a fuga.

7 comentários:

Adriana Godoy disse...

Bonito, Benny. Me lembrei de uma música do Beto Guedes: " viagem de buscar, sertão e beira-mar..." Beijo

sidnei olivio disse...

Belo poema e bela homenagem. Abraço.

jorge vicente disse...

muito, muito bom!!!!

um abraço lusitano!
jorge vicente

OCTAVIO PESSOA disse...

Excelente, Benny.

Francisco Coimbra disse...

Um prazer ler este poema! Abraço

Henrique Pimenta disse...

Beijar de língua a mangaba e lhe sugar a cajuína. Você é Brasil, Benny!

Gostei!

MIRZE disse...

BRAVÍSSIMO!

Repito Jorge Pimenta!

Beijos

Mirze