quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

simples, assim

na sombra tresloucada do talvez
minha agonia atravessou sozinha a linha telúrica da preguiça do meio dia.
feito pedaço de feitiço de fruta madura esperando acabar a gula
é simples, assim:
às vezes, eu sou apenas mais um sortudo surdo que não ouve o próprio coração...

3 comentários:

Cássio Amaral disse...

todo dia me suicido
lembrando que não envelheço
meu preço é ser inocente.

Cássio Amaral.
Do livro Sonnen.
PARA FELIPE MARQUES.

BRAÇOS A TODOS.

Roberto Machado Alves disse...

Ouvir o próprio coração...
Gostei muito disso.
Parabéns pela belo poema.

Produção Sem Roteiro disse...

Muito bom é divertido seu texto, gostei da maneira como joga e brinca com as palavras! Ja to seguindo !

Abraço!