domingo, 5 de junho de 2011

RISO E RISCO


eu gostaria de me culpar de ser quem sou
passando a ser queixinhas
coisa que não
sou

também é isso mas não é só isso
em meus versos me explico e comunico
ou imagino fazer algo
parecido a isso?

já desqueixei das palavras
soltando-as dos queixos virtuais
com a virtude da escrita ainda virgem
esperando atingir (o) orgasmo

coisa que não chega ao fim
começando para lá dos versos antes
deles e depois de aí chegar
(é) um riso e um risco

4 comentários:

Joe_Brazuca disse...

perfeito, Coimbra !

abraço

Francisco Coimbra disse...

Joe, retribuindo abraço, grato pelo comentário.

sidnei olivio disse...

Há sempre novidade em seus versos, mestre, sempre um jeito novo, supra-poético, "pra lá dos versos". Grande abraço.

rogerio santos disse...

sou fã da tua poesia Chico !
Abraços, Rogerio.

Esse texto é quase um olhar.