quarta-feira, 1 de junho de 2011

Poema

Vejo nos teus olhos
Coisas assim como sóis

Pássaros voando em tua íris
Eu mesmo
Perdido nestas retinas

Vejo nos teus olhos
A luz do dia que vai

Minha sombra em tuas pupilas
Escondida no teu olhar

Tenho a língua inerte no túmulo de minha boca
Esqueço palavras

4 comentários:

MARLOS DEGANI disse...

Belo Poema

Cristiane disse...

Versos virtuosos!

Belo poema.

Adriana Godoy disse...

Barone, vejo a luz em seu poema! Beijo

Joe_Brazuca disse...

excelente !

abs