sexta-feira, 13 de maio de 2011

(res) Piração

(Imagem by Google)

Virou a meia noite, vem fria

O pé esquerdo tocando o chão

O azar comendo a sorte ria,

Envravada na história a ilusão

A tonalidade rubra da magia

Tacitamente toca na mão

Já deixando a garrafa vazia

É dia de sorte! Talvez não.

Na encruzilhada a vela cria

Torpe vagarosa, vil intenção.


O desejo de amor vai no dia

Apele para os santos, João!

Pegue a pinga lá da esquina

Flerte com o destino então


Ébrios, puritanos, a vadia...

Até os símbolos do Panteão

Cuidado com a tal bruxaria

Amaldiçoando sua inspiração!




4 comentários:

João Luis Calliari Poesias disse...

Foram lançados
Os dados
De joão

Maria Marluce disse...

E agora é aguardar o que vem depois.

Tomaz disse...

Pirei ! Poeta...

;)

Cristiane disse...

Quase sempre totalmente pirados... poetas e poesias só vem de locais onde a insensatez é lei! rsrsrs