quarta-feira, 11 de maio de 2011

Φφ Fi




Alados corações,
esses são seus nomes,
avançam pela atmosfera densa...

Ouviram todas as preces
e aumentaram sua glória
numa comum espada.
Ou...
Ouvirão todas as pressas
e aumentarão a glória
do pacífico espelho
dos contos de fadas.

Preste bem atenção:
ainda é um sono
o que guia esses abutres.

É como hospedar uma borboleta
no interior de sua crisálida.
Na iminência de um vôo, almeja
o isolamento no silencioso
desenrolar de seu parto.

Partirá!
Continuando o seu ciclo
de larva,
monstro devorador
e beleza.
Feito a paixão e suas presas.

Longe do coração
há a certeza do amor.
No seio da memória pretendida.
Nos sonhos de uma certeza.

imagem Usinaemporium

3 comentários:

Cafundó disse...

Absurdamente, lindo!

Jão disse...

Lindo e envolvente

Beijos!

Lucas disse...

Antes, parabéns pelo blog, é uma ideia otima tem um poema por dia para ler... Quem derá eu conseguisse postar um por dia ^^'

Agora, parabéns pelo poema.