domingo, 8 de maio de 2011

DAS COISAS QUE EU QUERIA TER DEIXADO COM MINHAS FILHAS

o abraço da alegria, as mãos macias de ternura e afeto
e a vontade inquebrantável de tornar a seguir em frente.

a capacidade de encantamento,  ao sonhar o desejo que amanhece cada dia
e a certeza de que construir sonhos também dá camisa e enche as panelas.

o gosto da coragem, ao perceber arte nas coisas que são coisas
e das coisas que pintam o sete na vida da gente [revivendo, curtindo traquinagens da infância].

o barulho da verdade, ao entender que são conquistas o que alguns chamam de sorte
e outros dizem ser herança.

o sabor do arrepio, ao sentir o beijo da poesia da vida
e a leveza do embornal da esperança - lotado de alegrias e felicidades, pra carregar mundo afora.

exclamações, muitas
e muitas exclamações!


* [poema escrito num destes dias das mães, com a carteira sem recursos para comprar presentes pras mães]

* [foto "o adeus", de Maria Moreira - minha parceira no blog iluminessências photographicas]

2 comentários:

Maria Marluce disse...

Sem dinheiro, mas com ideias lindas que saem do fundo da alma e que, certamente, não quebra, não envelhece, não se perde e nem são esquecidas,

Jão disse...

Simplismente lindo!

com certeza deixar um lindo aprendizado para as gurias.


abraços!