terça-feira, 1 de março de 2011

Poema

Ontem olhei o espelho
e não me reconheci.
Meus olhos, estranhos,
me negam.

Face riscada de tempo,
boca incerta,
e em meio a isto
eu.

Ontem olhei minha face
e esqueci de mim.
Meus olhos, anônimos,
me entregam.

Boca crispada em lamento,
face incorreta,
e em meio a isto
eu.

7 comentários:

Kiro Menezes disse...

O espelho por vezes, nos suga...

BAR DO BARDO disse...

Um toque, diria, de pedra de Drummond. Mas o texto é Barone.

Muito bom!

Poeta Renato Douglas disse...

Olá adorei teu blog, lindo mesmo. Parabéns. Fique a vontade para fazer uma visitinha ao nosso e seja mais um membro. Você é nosso convidado especial. http://poetarenatodouglas.blogspot.com/.
Um grande abraço!

Renato Douglas!

A J Lobone disse...

Excelente Barone, excelente...

Flá Perez (BláBlá) disse...

Meus olhos, anônimos,
me entregam.

adorei!

Diario da Fafi disse...

Me reconheço em seus versos..
Também,às vezes,eu...

bEiJoS

Joe_Brazuca disse...

poemei-me...

e em meio a isto, eu...

ótimo !