segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Ganges

Como o rio

Meu verso flui

Como o choro

3 comentários:

Flávio Otávio Ferreira disse...

E quantas lágrimas rolaram em torrentes? ou seria uma vibração dissonante a levar ao extase?
Belo poema!!!

Kiro Menezes disse...

Já era lindo antes...

Continuou lindo hoje!!!!

gabi disse...

Ao vivo é mais bonito..= )