quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Eternamente



à véspera dos trinta e cinco
ainda sonho
ainda brinco

como aquela menina de doze
em todo retrato
com a mesma pose

: o tempo não me angustia
toda idade tem poesia

a vida é amarelinha
que pulo sozinha
rumo ao céu


Renata de Aragão Lopes

Publicado no Doce de Lira em 11 de fevereiro de 2011.

7 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

35 em 14 de fevereiro!

rogerio santos disse...

Singeleza booooaaaa...
35 é bom demais...rs

Tetis disse...

Muita linda, cheia de vida e alegria!! Gostei mesmo ;)

Albuq disse...

"o tempo não me angustia
toda idade tem poesia" - Verdade! Lindo!

Henrique Pimenta disse...

sua amrelinha azula

:-)

Kiro Menezes disse...

Magnifico... quem vive, simplesmente, vive agora e eternamente ♥

L. Rafael Nolli disse...

Um achado esse poema, Renata!
Abraços!