quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

borrões de rio


estou cansada

de mim
de você

da ideia de você em mim

:

dessa ausência de vida


lavrei as páginas

com olhos borrados
por lástimas

chuva de nós

nada deixei no lugar
tudo se transforma

ensopa

no borrão de rio


mesmo assim, assim, voo
não vê?

há/a saudade




*Imagem disponível aqui.

5 comentários:

Kiro Menezes disse...

Nossa... que delicia de sentir!

Lindo querida!!! Muito lindo ♥

Henrique Pimenta disse...

A lira é boa.

KA disse...

Bela Hercília.
Mais uma!
Gosto muito
Abraços

L. Rafael Nolli disse...

Hércila, bom poema e interessante esse trabalho com as palavras riscadas!
Abraços!

Renata de Aragão Lopes disse...

Hercília,

que maestria a sua ao lidar com emoções e palavras...

Um beijo,
Doce de Lira