terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Denso, tenso e outros problemas que tenho quando penso



a rapadura enroscada no colar da baiana
é um anátema contra a monotonia da escadaria católica
e a mesmice do choro da criança todo santo dia
na dúvida
ou é mandinga
ou é cólica?

certas perguntas não querem falar
e a textura do ralador não tem a ver
com o destino do coco que acaba culinário
não por estar antropologicamente inserido no fazer

e sim
por ser
simplesmente

gostoso pra caralho

pensar, pensar
é denso
é tenso
e nada é melhor que uma havaiana
e seu sorriso
de cocada.

6 comentários:

João Luis Calliari Poesias disse...

beleza...

BAR DO BARDO disse...

Excelente articulação léxico-semântica, TM, hehehe...

Parabéns!

Albuq disse...

Adorei!

Kiro Menezes disse...

"Baiana requebrando...
seu bando
joga essa abundância
se joga nessa dança
Havaiana faz pujança
nada te fere Baiana
nessa tua 'rebolança'!"

Adorei teu poetar!!! Um ano incrivelmente belo a ti.

Com carinho...

sidnei olivio disse...

Construção fantástica, Tião. Abraço.

Tião Martins disse...

Obrigado amigos. Uma cocada pra cada um!