segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

profundamente Manuel Bandeira

quando adormeci profundamente
em uma antiga tarde
aos quatro anos

não havia festa de são joão
não havia o poema profundamente

o domingo passou
era tarde para brincadeiras
no corredor comprido

era tarde para mostrar a roupa nova
para a vizinha

a partir desse acontecimento
surgiu o medo de dormir
e perder mais do que a tarde

acordar e perceber
o sentimento vazio
do buraco no tempo.

4 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Bom diálogo!

Felicidades!

Kiro Menezes disse...

"Quando não havia Manoel Bandeira
ainda havia a brisa suave
o sopro de vento nas tardes
a corrida até o sopé das arvores

Quando não havia Olavo Bilac
quando não havia sabiás
quando não havia escritas
havia sempre o sol a alegrar!"

Remeteste-me a mim mesma...

Belíssima obra ♥

Flavio Machado disse...

Olha muito boa essa invasão menina, gostei muito
bjs

L. Rafael Nolli disse...

Flávio, acertou em cheio no diálogo com o Bandeira!
Abraços!