terça-feira, 21 de dezembro de 2010

TRIBUTO A ZEZA



Natal

Toca o telefone

Reconheço a voz

Cabelos de outono



Luzes no ar

De Drummond revisitado

Essência

Com Heidegger viaja no tempo



Cabelos de outono

Talvez o mundo seja pequeno

Tantos ditos, não ditos

Gritados por dentro



Outras vidas? Mundos paralelos?

O que se desvela

O planeta Terra é minúsculo



Minúsculo para tanto ser

Ser para tanto querer

Dor-ação

Por ora-ação



Por onde começa o fim...

Recomeço a cada instante



Cabelos de outono...



Cai uma folha

Na dança da vida

Toda a árvore sublima o traço

Percurso

no tempo-espaço

4 comentários:

Kiro Menezes disse...

Um delicioso poetar natalino... Saudade me causa viajar tuas linhas...

Flavio Machado disse...

Gostei do poema Cátia, bem colocado.

Henrique Pimenta disse...

Um agradável tom nipônico (Drummond também por vezes o tinha no fio de seu estilo laminar... ).

Felicidades, Cátia!

André HP disse...

Li como uma deliciosa viagem da existência.

Belo poema.

beijos.