sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Existem amores e amores.

De noite.

Eu quero
Cobrir os seus pés
com os meus

Rezar
Por menos um
Adeus

Eu quero
desenhar você
por uma vida inteira

De luz tímida
e traço forte
Adiando a morte

Eu quero
um tempo
esquecido de acontecer

E um espaço
com espaço para eu amar você.



Julia Duarte.

7 comentários:

Priscila disse...

que bonitinho, Julia.



abraço
priscilalopes.com

Albuq disse...

Ahhhhhhh Júlia que lindo... adorei tua poesia!

Renata de Aragão Lopes disse...

Que bonito!

Francisco Coimbra disse...

Um espaço conseguido o do poema, para todos os amores, só precisa a emoção precisa, mais nada é preciso. Parabéns!

Julia Duarte disse...

Valeu, gente! Depois de uma fase mais conturbadinha eu voltei a escrever ;-) E vocês dão aquela incentivada que a gente precisa. Muitos beijosss.

Lírica disse...

nenhum idílio é eterno, mas esse abandono é delicioso...

Flávio Machado disse...

como vai vizinha, um belo poema.

bjs