sábado, 28 de agosto de 2010

Dessoneto



Existe nostalgia possível
sonhar com realidade
no sítio sem validade
num foto grama invisível.

O sol molhou a chama
d'alguma esperança
na mulher que ama.

Aguar tela lembrança.
Solidão de alma
na limítrofe temperança.

Ao casal de lealdade
entender o não crível
mal e bem na igualdade
perder ganhando do invencível.



3 comentários:

Albuq disse...

Affff Felipe que lindo... os versos são lindos e a imagem perfeita. bjs

L. Rafael Nolli disse...

Felipe, é um belo poema e a foto casou muito bem!

"O sol molhou a chama
d'alguma esperança"

Fernão Gomes disse...

E daí, Brazuca, tudo bem? Curioso esse seu soneto às avessas. É uma (se penso bem) boa desconstrução das coisas que pensamos. Valeu, meu velho!

Fernão Gomes