quinta-feira, 8 de julho de 2010

Leminski


Lia em seu leito poesia de Paulo.


Sem perceber que sonhava,
paulatinamente
combinava fonemas.


Paulo e Lia
fazendo poemas:
ele ditava, ela deitada,
dormia.


O dia chegou:

— Acorda Lia! Bom dia!


No lençol branco da cama
nem uma linha.

11 comentários:

sidnei olívio disse...

Flá, perfeito o balanço, o engendramento, aliterações e coliterações. Gostei demais. Beijo procê.

Flá Perez (BláBlá) disse...

beijo proce tomém..rsrs
bjbjbj

ps, to devendo o livro, dessa semana não passa.

Adriana Godoy disse...

Gostei..bem feito e tudo a ver com P.L.. Bj

Renata de Aragão Lopes disse...

Que bonito, Flá!

E não é que Leminski
também me inspirou
a escrever recentemente?

"Inverno",
publicado no Doce de Lira.

Um beijo, querida!

Glauber Vieira disse...

Bom texto, o final ficou perfeito.

L. Rafael Nolli disse...

E viva o Leminski! Beleza de poema!

Benny Franklin disse...

Poema de Prima!

Barone disse...

Muito legal Flá!

Flá Perez (BláBlá) disse...

OBRIGADA PESSOAL!
BJBJBJ

Hercília Fernandes disse...

Lindíssimo poema, Flá.
Como o Sidney bem pontuou tudo se apresenta harmônico em seus versos.
Amei!

Beijos,
H.F.


Obs.: E a foto também é linda!

Flá Perez (BláBlá) disse...

obrigada Hercília! bjbjbjbjbj