quarta-feira, 14 de julho de 2010

Colisão !

Parem de martelar minhas têmporas!
Escombros do vetor declínio
Que insistem em me profanar

Impacto que esfacela o ego
Voadoras acertam o queixo
Todos os ossos a se quebrar

Queria que beijos fossem bombas
Explodindo este ranço de medo
O passado a se desintegrar

E com o coração nos punhos
Tento um rabisco cartesiano
Repetitivo e leviano
Que reinvente o verbo Amar

4 comentários:

Albuq disse...

Lindo, lindo!
Reinventar o verbo amar....

Endim Mawess disse...

legal adoro poemas nesse estilo confuso e odiavel. só pra distrair

Felipe da Costa Marques disse...

Destruidor de amores,
construindo paixões,
do caos blues inventivo!

boa tó!

abs!

Kiro Menezes disse...

Desapontamento é matéria fácil de desenhar, difícil é reformatá-lo assim, de maneira esplêndida, eu diria!

Tua originalidade é magnífica a mim!!!