sábado, 19 de junho de 2010

Poeminha








Poeminha

Contudo me darei inteiro
Mesmo que de mim
Reste apenas um pedaço.

E do pouco que terei
Para oferecer-te
Ter-se-á a melhor parte.

No que há de mim perdido em frangalhos
Há, enfim, precioso fragmento
Das partes imputadas em cabais momentos
Meu inteiro é tudo que preciso

Te oferto em meio a risos
pequeno estado de contentamento
Dividido em partes de improviso
O que a ti agrada plenamente!

13 comentários:

Valvesta disse...

Querido menino lindo, lindo tb teu poema, tão encantador como teu corção, simples singeleza e ternura.
Perdoi a minha ousadia,mas estou levando ao meu blog, colocarei em lugar de honra em meu coração,beijos com carinho.

O mundo de Dani disse...

É por isso que faço das palavras deste teu caderno virtual, uma inspiraçao para ser seguida e uma visao poética para ser lida...
todos os dias para ser lida..
parabéns pelo poema do dia..
Saudaçao minha!

Renata de Aragão Lopes disse...

Que romantismo...
Bonito poema.

Beijo,
doce de lira

Flá Perez (BláBlá) disse...

mto bonito! adorei o ritmo.
bjbj

Flávio Otávio Ferreira disse...

Valeu minhas queridas pelos comentários!!!
Abraços!!!
Paz e Literatura sempre!!!

Barone disse...

"No que há de mim perdido em frangalhos
Há, enfim, precioso fragmento"

L. Rafael Nolli disse...

Beleza de poema, Flávio! Abraços!

TON disse...

Bela entrega!

Parabéns!

Marcia PoeTree disse...

Quando penso que as palavras benditas estão longe de mim elas aparecem tal qual pinguins atravessando mais um inverno... Amei amigo. Obrigada por mostrar que a poesia É, não importa o quão anestesiados estejamos...

Flávio Otávio Ferreira disse...

Valeu pessoal pelos comentários!!!
Abraços a todos!

Barone disse...

Boa!

Cíntia Thomé, Jornalista, Poeta . disse...

' do pouco que terei
Para oferecer-te
Ter-se-á a melhor parte.'

lindo tudo. sublime.ab

Paola Vannucci disse...

Offer

sou sua fã

beijos