domingo, 20 de dezembro de 2009

noite feliz

não vejo nos natais
qualquer sentido
desabo à meia-noite
como um prédio mal construído

o que sinto é a busca mercantilista
o presente não comprado
o amigo ausente
a casa vazia

chego à conclusão
de que não gosto mais do natal
e de que não sei o quê na canção
chamam de noite feliz.


(por onde andará o menino
que fingia dormir
para surpreender papai noel).

5 comentários:

Victor Meira disse...

A poesia é bem intencionada, mas confesso que acho bobinha, Flávio.

Renata de Aragão Lopes disse...

Flávio,

você falou sobre algo
que tenho ouvido
por toda parte.
Quase ninguém, hoje,
parece ter no Natal
uma "noite feliz".
Escrevi a respeito
no doce de lira:
dezembro
tem muitas nuvens...

Gostei muito
dá última estrofe:
encantadora. : )

Um abração!

Joe_Brazuca disse...

pois é...

"...eu pensei que todo mundo fosse filho de papai noel..."

boa, Flávio !...é isso ai mesmo !

Rafael Mantovani disse...

de fato, onde andará? também perdi ele de vista.
abraço

Flávio Machado disse...

Obrigado pelos comentários ao poema.
abs
Flávio