segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Máscaras

As pessoas
Fingem afeto que não sentem,
Sentem raiva que não demonstram,
Demonstram amizade que não cultivam,
Cultivam ódio que não mostram,
Mostram carinho que não confirmam,
Confirmam amor que desmentem.

E esperam que confiemos
Nelas,
No que dizem,
Fazem
E são.

Em troca e em igual medida, partilhamos
Desconfiança,
Descrença,
Decepção,
Descrédito,
Desilusão,
Desesperança,
Desamor.

Mas vivemos como se tudo fosse
Bom,
Sincero,
Verdadeiro,
E seguimos usando máscaras
De defesa e proteção
Uns contra os outros,
Aplaudindo a hipocrisia
E simulando aceitação
Do que cada um,
Feliz ou infelizmente,
É.

Vera Pinheiro

11 comentários:

Victor Meira disse...

As máscaras são intrínsecas e necessárias. O Homem não está preparado pra arrancar suas mil faces.

Vera Pinheiro disse...

Ou para encará-las. O risco é, de tanto usá-las, já não saber quem se é. Obrigada, Vitor. Um abraço.

Francisco Coimbra disse...

A Poesia também é Filosofia, com uma diferença, não move o poeta o amor ao Conhecimento, é sempre uma procura da Verdade do que se sabe e sente no momento da criação, da Criação do poema. Muita Verdade e grande filosofia nestes versos, parabéns!

FaBiaNa GuaRaNHo disse...

Querida
Primeiro peço-lhe desculpas pela ausência de tempos, porém, estive com problemas de saude em família, agora estou aos poucos retornando.
Peço-lhe que se quiser veja meu mais novo filhote o livro do Raposo, O Idoso Odioso que acaba de sair.
Se quiser dar uma olhadinha acesse o site abaixo, ou entre em contato comigo.
Estarei providenciando uma noite de autógrafos logo depois das festas de fim de ano, conto com a sua presença lá.
Beijos
Fabiana Guaranho
www.biblioteca24x7.com.br
CaCaSeCaCaReCoS http://fabiguaranho.blogspot.com/

L. Rafael Nolli disse...

Feliz ou infelizmente?... Aí está uma questão intrigante. Belo poema, Vera!

Vera Pinheiro disse...

Amados poetas, graças por suas palavras. Abraços de carinho.

Renata de Aragão Lopes disse...

Vera,

quanta verdade neste poema!
Confesso que nada
me irrita mais
que a hipocrisia.

Máscaras nem em fevereiro,
pois que nem aprecio
o carnaval!

Bravo, querida!
Um beijo.

Juliana. disse...

Por que o mundo necessita disso, máscaras? Talvez por que tenha perdido o eixo do respeito, e no fim temos que nesse mundo entrar, para proteção..difícil isso! Muito forte e lindo o que escreves..belíssimo
Vou seguí-la com o maior prazer, beijos
ótima semana e um lindo Natal!

Vera Pinheiro disse...

Renata e Juliana, mulheres poetas maravilhosas, as palavras de vocês muito me sensibilizaram. Beijos e carinho.

Fábio disse...

Oba tb tenho um espaço .. qdo e c der faz uma visita www.ecosdotelecoteco.blogspot.com Sucesso com o blog aí. Abraço

Joe_Brazuca disse...

fotografia de nosssas faces mascaradas...
a vida, então, é um palco de personagens repetidos sub-repticiamente...no final, as vaidades são tantas, as máscaras tamanhas , que nos perdemos em nós mesmos no labirinto do tentar ser o que não se pode, o que não se deve, o que não se quer...

excelente sua clareza e destreza em descrever isso...

Feliz Natal !...com uma máscara de papai noel...

bj