terça-feira, 20 de outubro de 2009

A fantasia de todos os dias.

Em palavras tímidas
escapam promessas
doloridas
de infidelidade

É no disfarce da maquiagem
que se esconde o rosto
áspero
cheio de marcas

A altura
se muda do corpo
conforme
o tamanho do salto

Os caracóis esticados
alongam as vértebras
de um fio
de cabelo

Uma cor forte
esconde a sujeira
embaixo
da unha

O compromisso
com o que sai da boa
muda
se a boca veste um batom

O que mais
uma mulher em seu eterno centro
poderia querer
além da verdade?

A mentira.


Julia Duarte.

6 comentários:

Vera Pinheiro disse...

Julia, querida, esmiuças com poesia essa parte de um universo tão nosso, e de um jeito belo, como sempre.

tania não desista disse...

delícia...poetar sérias brincadeiras femininas..
de esconde-esconde.
interessantíssimo!
bjo
taniamariza

Flávio Machado disse...

oi menina o olhar belo da alma feminina.

bjs
Flávio

TON disse...

Poesia incerta como a essência feminina. Nunca está onde a pomos, mas onde ela quer.

Gostei muito!!

Ton

Julia Duarte disse...

Pelos comentários alegres e leves:
muito obrigada!
Um beijo para os meus poetas de todos os dias ;-)

Felipe da Costa Marques disse...

"O que mais
um homem em seu eterno centro
poderia querer
além da verdade?

A mentira."

Absurdamente bom!