quinta-feira, 4 de junho de 2009

Salvação

devo resgatar o gato
na área dos vizinhos

a noite é fria
o muro é alto
a escada é curta
e a vida, lembro só agora
também

miado de socorro

minha cachorra late
meu coração bate:
hoje eu morro
ou de queda
ou de infarte

chego ao cúmulo da altura
a realidade é dura:
já não sou quem eu era antes
hoje seria melhor desistir
mas o filho da puta
do gato

precisa de mim

vamos até o fim...

um salto!
cinco dores...
um assalto!
calma vizinho...
sou eu, resgatando o gatinho...
que susto, seu tião...
o senhor não tem mais idade pra isso não...

diga isso a esse gato
que tem sete vidas
e nenhuma noção

eu sou apenas uma pobre alma
em busca da salvação
enquanto o bichano faz arte
eu faço é musculação.

10 comentários:

Adriana Godoy disse...

Que delícia de poema. A gente lê e se vê na situação. Ótimo. Adorei.

Renata de Aragão Lopes disse...

Antes de chegar ao meio, já sabia ser seu, Tião!
Ritmo e bom humor inconfundíveis!
Desta vez, praticamente um poema-vídeo: o desenvolvimento de uma situação do começo ao fim. Também adorei.

TON disse...

"Prazeirosa" leitura. Contorno lúdico para um cotidiano real. Muito bom, mesmo!

Marcos Satoru Kawanami disse...

tranqüilo, descontraído, bem-humorado, jovial sendo maduro

oraculo disse...

Sensacional, texto muito bem escrito e bem humorado. Valeu a visita no site.

tenório disse...

Muito bão, Tião! Fez um sucesso aqui em casa!

Tião Martins disse...

Obrigado amigos. A história é verdadeira e, a quem interessar possa, informo que todos os personagens passam bem. Inclusive o muro...

tania não desista disse...

muito legal mesmo! o gato...mostrou que está muito em forma!...mais sete vidas pra você...benção do gato! bjo
taniamariza

ivana disse...

Gostei tanto que
.
.
.
surrupiei!

Tião Martins disse...

Ivana, pode surrupiar. Só não me suma com o gato... rsrsrssrrsr