terça-feira, 19 de maio de 2009

Teu Escravo


Dá-me a cicuta de teus lábios
Embriaga-me em teus prazeres
Mata-me agora com teus venenos
Faz-me teu escravo, teu zumbi

Mumifica meu corpo
introduza-me em teu mausoléu
Rouba-me do chão
Rouba-me do céu

Leva-me aos teus lençóis!

7 comentários:

Compulsão Diária disse...

Pedido malicioso em versos de entrega aparente: na servidão desses lençóis o escravo será senhor. cuidado, moça;))

Vera Pinheiro disse...

Bea tem toda razão, mas que é tentador, ah, isso é! Gostei dos versos, mas se não fossem poéticos seriam amedrontadores.

L. Rafael Nolli disse...

Pois é, Flávio! Concordo com Bea e Vera, parece mais uma armadilha daquelas bem tecidas! Um daqueles jogos profundos de sedução - mas os papéis se invertem, nos lençóis!Muito bom!

Assis de Mello disse...

A Compulsão sacou tudo. Como se diz aqui no interior, você é "veiaco", Flávio. rssss
Muito bom. Ainda mais acompanhado dessa foto. Ai Zizuis...
Chico

Joe_Brazuca disse...

escracidão assim, tá valendo a pena...
mas, cuidado !...pq é química...e acaba...e se esvai...dai o que sobra são só grilhões e o tronco...

muito bom, poeta !
abraço

Joe_Brazuca disse...

escravidão, digo...

Hercília Fernandes disse...

Um pedido assim tão bem feito, não se pode recusar...

Adorei, Flávio!

Beijos,
H.F.