sábado, 14 de março de 2009

Serial Devaneio




Estive dançando com a bomba atômica
para sentir o sabor da realidade
Nossos passos desintegravam almas
no assoalho da humanidade

Estive beijando uma metralhadora
no intuito de conhecer a morte
Mas, em minha garganta estava a vida
sussurrando um desejo de sorte

Tentei acreditar que era verdade
Limpando lágrimas e sorrindo
Mas, o sorriso era de plástico
e o inferno fui sentindo

Acordei!
O terror foi passageiro
Porém...
Em meu lençol há sangue
e não sei de onde veio

Creio prover do Além...
Deslumbrante e desconhecido!
Dentre verdades convictas
é único!
Para as dúvidas Abrigo.

11 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Stephen King do Pantanal!

Cris Animal disse...

Uau....
Não foi uma experiência alucinada, nem um pesadelo absurdo e longe de nossas vidas. É mais. O triste de tudo isso é que é real em nossas vidas.
Entre beijos e afagos, disparamos metralhadoras, cacnhões, armadilhas, porretes e ... fazemos sangue escorrer. E, se não é nossas mãos adestradas que aperam o gatilho é nossa cegueira, nossa indiferença, nosso comodismo em nosso mundinho que vai escrevdno pesadelos como esse, deixando sangue em lençois de vidas.
Beijos
.............Cris Animal

Barone disse...

Mas, em minha garganta estava a vida sussurrando um desejo de sorte

Compulsão Diária disse...

Abrigo atômico, é a poesia deslumbrante desconhecida, dentre verdades convictas. Nenhuma dúvida.
Boa, Tomaz

Adriana disse...

Essa dança mórbida com a bomba atômica é uma ideia interessante. Seu poema nos faz pensar sobre a realidade e o delírio, pois ambos dançam de mãos dadas. Muito bom, Tomaz. Bj

Tomaz disse...

Gostei da interação dos comentários com o texto... Continuaram o meu poema !
Um grande abraço a todos !

Stephen King do Pantanal?
Ganhei o meu domingo!

Felipe da Costa Marques disse...

Um poema clangoroso!!!

Tomaz disse...

Clangoroso apregoa, altaneiro
O clarim estridente da fama
Que dos clubes do UNIVERSO inteiro invencível é o Vasco da Gama!

Saudações!

Tenório disse...

Ei Tomáz, que belo poema! Fiquei boquiaberto com:

"Estive beijando uma metralhadora
no intuito de conhecer a morte.
Mas, em minha garganta estava a vida sussurrando um desejo de sorte".

Sensacional!

Tenório

Joe_Brazuca disse...

Fantástico mesmo !
abraço

Tomaz disse...

Tenório e Joe

Tardio, mas sincero agradecimento pelos elogios.

Estive lendo os textos de vocês, e fico feliz de receber os elogios de quem tem a qualidade que vocês têm.

Um abraço.