quarta-feira, 4 de março de 2009

Piscianos

nadar como quem dança
dançar como quem sonha
sonhar como quem voa
voar como quem navega

no meio de todo recheio tem sempre um meio de se perder

sofrer como quem perde
perder como quem vence
vencer como quem morre
morrer como quem vive

na ponta de cada lança tem sempre um lance de esperança.


poema feito com o sol a 14º de peixes.

10 comentários:

fernando cisco zappa disse...

eis
as águas da simplicidade

e
o peixe sabe tudo
e
nada


evoé poeta!

Audemir Leuzinger disse...

como tenho peixes no ascendente...
entendi bem o poema.

Hercília Fernandes disse...

Simples e muito diz = belo!

Forte abraço,

H.F.

Adriana disse...

"no meio de todo recheio tem sempre um meio de se perder"...gostei disso aqui.

Renata de Aragão Lopes disse...

Adorei os versos!
Compartilho contigo o gosto pela astrologia.

Compulsão Diária disse...

Esperar como quem lança o anzol na garganta

Felipe da Costa Marques disse...

"O nada nadifica, A esperança é sempre criança", Poeta, Professor...
Congratulações sempre, Abraço!

Helena disse...

Sou leonina, mas tenho olhos de entender piscianos - musicais, ao mesmo tempo construtores.

Lindo poema, tem sido um prazer navegar nestas águas

Helena

rogerio santos disse...

Adorei a singeleza dos versos.
Abração
Rogerio

meus recados disse...

Sou dee gemeos , miinhaa namo éé dee peiixes , por estudar astrologiiaa aa 5 anos compreenduh aa analiize dos piscianos palaa viidaa , posso entender mais gostariiaa tbm dee criiar , poiis tbm sou poetaa , maiis nas poesias piscianas retrata umaa excelenciiaa muiito maiis profunda do mundo subconciientee , tal mundo n estou mergulhado , por tanto impossiivel deu conquiistar tal objetiivo , maiis como sou todo do contraa , plaa quem quiiser aprender , plaa viiver ee amar , pesquiisaa "conectar com netuno" , o riitual proporciionaa sintoniiaa atravéz do mundo mágiico o qual podee ajudar aa compreender , maiis cuiidado pq podee see perder daa realiidadee (em partee)...