sexta-feira, 6 de março de 2009

Coma


(Foto: Rose Toffoli)



na
alma
um
dano
no
crânio
um
dreno
na
mente
um
plano
um
leve
aceno
moeda
como
poema
fono
fonema
pomo
:
poema
pleno

( publicado no livro da tribo 2009)

11 comentários:

sagamundo disse...

Simplesmente amei esse poema. Normalmente quando estive uma preocupação estética assim, o conteúdo se esvazia. Mas esse não. O que vai dentro é melhor ainda!

parabéns

Tenório

sagamundo disse...

Errata: normalmente quando EXISTE uma preocupação estética, o conteúdo se esvazia. Mas esse não. O que vai dentro é ainda melhor!

Guto Leite disse...

é, faço minhas as palavras do "sagamundo", uso, na minha opinião, denso e acertado da materialidade do verso, da formas, dos impactos no sentido. Enfim, achei um excelente poema! Grande abraço

fernando cisco zappa disse...

aqui
me
tento

belo poema

caro rogério,
meu abraço terno!

Adriana disse...

As palvras assim dispostas movimentam a mente e a alma. Gostei.

Renata disse...

Versos dispersos,
mas alinhavados pelo ritmo.
Que bacana!

Tião Martins disse...

Boa Rogério!

Compulsão Diária disse...

Na alma um dano no crânio um dreno na alma um crânio no dreno um dano e ..
Excelente. Dá vontade de brincar de coma

Hercília Fernandes disse...

Palavras soltas que, em plena liberdade, oferecem bom caldo para temperar a sopa.

Poema inteligente, muito!

Bravo, Rogério!

Abraços,
H.F.

Yara Beatrice Jasmin Nin Poulain Black Mamba disse...

se bebo cada fonema
do seu poema pleno

eu plano

rogerio santos disse...

Muito legal reler os comentários depois de tanto tempo. Deixo o registro. Eu amo esse texto.