quinta-feira, 5 de março de 2009

ACONTECENDO

vou continuar a acontecer acontecendo
sem pressa
fazendo um verso em dois versos
seguidos
como este poema surge seguindo um
anterior feito
a preceito do que verdadeiramente
rima
na perfeição dos versos onde nus nos
apuramos puros
procurando esse momento onde
ejaculamos
dum jacto a viagem mais rápida
de todas
aquela que acontece no tecer dum
pensamento

nesse momento sabemos: podíamos
ter acabado
o que não sendo o resultado resulta
neste
continuar parodiando as nossas ideias
mais coloridas
com a paleta rica de ritmo e cor
rente
ao dizer onde o sentir se faz sensível
ver visto
à verdade insondável das coisas feitas
viagens
na vagem onde as sementes são
nossos versos

aqui os deixo
acontecendo na perfeição do poema
(pré tensa mente: pretensamente vivo!)

8 comentários:

Tomaz disse...

Espontâneo e Belo, como a Poesia por natureza deve ser. Parabéns!

Renata de Aragão Lopes disse...

Ritmo.
Jogo e quebra de palavras.
Adorei!

Guto Leite disse...

Gostei bastante! no jogo das palavras é absolutamente irônico em si mesmo, além de dizer algumas verdades entremeadas. Muita arte e grande abraço

fernando cisco zappa disse...

gostei desse jogo
que expõe
frag
mentalmente
o pretenso pensar
nem sempre
vivo...

abraços,

Adriana disse...

Uma bela reflexão do cotidiano disposto em versos. "aqui os deixo
acontecendo na perfeição do poema". Gostei. Abraço.

Francisco Coimbra disse...

Caros/as, colegas de blog, num instante um mês se passa e assim a vida: meu agrade_cimento pelos comentários!

Compulsão Diária disse...

Francisco,
além da delicadeza de sentimentos há neste poema uma revolução na linguagem. significantes a serviço do significado.
Magnífico

Benny Franklin disse...

Muito bom, companheiro!