sábado, 14 de fevereiro de 2009

Nômade da Madrugada

Melodia de passos no asfalto
Entorpecido em direção ao abrigo
Respirando insetos do capitalismo
Agarrado ao luar recitando o infinito

Vento sacode folhas do coração
Solidão quebra galhos emitindo ruína
Fúnebre assalto de sentimento líquido
Transformando em migalhas auto-estima

Medo!
Caminhando tranquilamente na rua escura
Pavimentos da natureza sob a luz da lua

Segredos!
Assobiando às estrelas seus anseios
Namorando o vazio da alma nua.

8 comentários:

Marcos disse...

Interessante e lacônica imagem de um solitário madrugada a dentro na solidão das ruas, mas o poema ficou tão cheio de imagens poéticas que elas terminaram ficando maiores que o próprio poema. É como uma piada em que o piadista tenta ser mais engraçado que a própria piada.

Compulsão Diária disse...

Beleza de soneto, Tomaz!
Começou descritivo e botou a lua na alma.

Tomaz disse...

Marcos, Obrigado pela crítica... Embora, eu analise minha obra da seguinte maneira: Tento expressar um sentimento através de palavras, e procuro fazer isso de forma sincera, mesmo que para isso precise ser intenso e transcendental, e o poema fique bastante carregado.

Compulsão diária, grato pelo elogio.

Aproveitando o momento, enalteço a importância deste espaço, e de todos os poetas que passam por aqui. O Poema Dia é uma manifestação artística muito bonita.

Adriana disse...

Um imagem da cidade que nos devora, um paradoxo poético. Abraço.

Assis de Mello disse...

Poema curioso e interessante por não ter um sujeito explícito.
Quem está entorpecido ?
Quem respira insetos ?
Quem tem medo ?
É o autor ou outra pessoa ?
No finalzinho, uma pista ambígua:
"Segredos!
Assobiando às estrelas seus anseios
Namorando o vazio da alma nua."
... "SEUS anseios" demonstra que o sujeito não é o autor, mas outra "pessoa" indefinida, podendo, inclusive ser os "Segredos".
Mas não acho que seriam os segredos que estão entorpecidos nem respiram insetos, nem têm medo. Curioso isso.
Tomaz, se você substituisse "Seus Anseios" por "Os Anseios", seu poema ficaria incrível pela ausência absoluta de um personagem.
Pense nisso.
Abração,
Chico

Tomaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tomaz disse...

Boa interpretação, Assis...
Este é o espírito, podem ter diversas interpretações, depende da cabeça de quem está lendo. No início do poema, pode ser o poeta, um personagem, você, eu, ou qualquer um que possa andar na rua pela noite. Sobre a parte dos "segredos" e " seus anseios ", a idéia é personificar " Os segredos ", dando a eles a capacidade de " assobiar às estrelas seus anseios", ou " os anseios " , tanto faz, apesar de muito boa sua observação.
Abraço.

Olhos de Folha Minha disse...

Tomaz nomade nas solidões e com a meodia das cidades dentro de n[os....
criativo e sentido aflorado.ab