quarta-feira, 8 de agosto de 2012

EU NÃO SEI O QUE DIZER ÀS PALAVRAS




Tem 07 chaves, cada palavra que cismo escrever. Porta aberta, silêncio quebrado e puro desafio, um kg e meio de desafio e êxtase – pra ser bem mais exato. São palavras que aliviam o peso do mundo que carrego nas costas.
.
De tanto querer aparecer [aprender], danadinhas que são e teimam de vir a serem, palavras acabam pulando pra dentro de poeminhas, textículos, rabiscos em qualquer papel e lugar, mal traçadas linhas, alamenórdulas sem gracistas de toda sorte, frasinhas de dizer alguma coisa e coisa nenhuma.
.
Palavras removem minhas tripas dizendo que estou com fome, doem meus bagos quando não sei o que dizer, usam meu peito cabeludo pra dormir aconchegadas, beijam minhas orelhas quando sussurram nos meus ouvidos de ouvir besteira, alisam a tampa da minha cabeça, refrescam minha nuca, olham minha careca, descalçam meus pés cansados, relam nas minhas coxas, ouvem minha boca de dizer sorrisos e abrem meus olhos de desejar bons dias. 
.
No fim de cada tarde, quando a lua anuncia a noite beijando o quintal de minha casa, palavras deixam meu corpo quase todo tatuado de puro amor / ardor / ar / dor.
.
Elas nunca foram embora, nunca me abandonaram, apenas descansam sem pedir benção, sem pedir licença, sem pedir nada. Traquineiam, escorregam, escorrem, correm, morrem, nascem, renascem, rimam, remam e riem pertinho de mim.
.
No final de tudo, que é início também, eu não sei o que dizer às palavras. Sei que ficam ecoando a ternura e a generosidade com que sou abraçado por elas, apenas isto, só isto e tudo o que mais houver no silêncio das horas, no silêncio da vida...

[ Cleber Camargo Rodrigues ]


2 comentários:

Murilo Hildebrand de Abreu disse...

sensacional

miguel angelo disse...

ola seu blog é muito bom, visite tambem o meu... se voce quiser parceria eu posso oferecer para voce um excelente trafego de visitas, é so meu falar... http://assombrado-mc.blogspot.com