segunda-feira, 9 de abril de 2012

canto meio desesperado

arte: rafael godoy

me ensine a percorrer esses
caminhos sem sombras
me diz embora o dia nublado
e os homens cinzas
que a noite vem com estrelas

tenho as mãos secas de agonia
imploro para que preserve os meus olhos
esses ossos e o coração já vacilante
que a morte é certa mas não precisa ser agora

descobri que tenho me escondido em vão
e o meu grito se estende como uma estrada longa e sem volta

vejo em você o que não queria ver em mim
e me assusto sempre
então me mostre o que não sei
e deixe a marca de seu amor

me contamine
nesse dia
que essa febre não vai me matar
pelo menos hoje não

2 comentários:

Mirze Souza disse...

Grande, DRI!

Como todos os seus poemas!

Beijos

Mirze

nilson disse...

a ansiedade do amor sempre nos consome.
esse "lobo correndo em círculos" que sorrateiro nos persegue.
e é sempre assim, "dia nublado, homens cinzas"...
há algum amor que não tenha o sofrimento como amante? não sei a resposta, mas ainda que aparecesse um vil dizendo que há, não acreditaria...
eu queria a alternativa do ódio, mas ele é tão sem graça, tão previsível...
então, "se é dor, quero um mar dessa dor".
sofrimento pouco não vale nada.

ler seu poema me fez bem.
sentir seu poema me fez mais.