sábado, 13 de agosto de 2011

acordar é ter saída?



labirinto de espelhos
e borges no meu juízo
biblioteca só de livros
paredes livros sem teto
:oh ícaro
podes ver o céu
mas não podes voar

nem braile nem audiobooks
perdido em mim
no way out, diz o corvo
atirando a esmo
:poe! poe! poe!

acordo encharcado de suor
dante me recebe
com um sorriso escroto
e o inferno
é feito de círculos
gangorras ciclos espirais

8 comentários:

Rita Vianna disse...

cara , vc é super pósglobalizado... na frente (antigo prá-frente) Gigante.

Ana Ribeiro disse...

Vês alguma luz no fim do túnel?

samuca santos disse...

daíta, você me aumenta às alturas...

ana, pergunta pro kafka.
;)

Universo Paralelo em Versos disse...

Êxtase em ler teus poemas! o que mais admiro ler é a arte em versos, tal como ela se apresenta conceitual. MARAVILHOSO PARABÉNS!

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Quantas (boas) referências em um só poema... Gostei muito da imagem!

samuca santos disse...

universo
_?
vcs são meus adiivos!

maírinha, querida, me quedei abobalhado...

Tomaz disse...

O inferno nem é tão longe... Não sei o que ficou mais fera ae, o poema ou a imagem...

Saudações !

samuca santos disse...

valeu, tomaz!!!