sábado, 25 de junho de 2011

Cantiga simples



Quisera eu poder fazer todas juras
não entoando mais que sete notas
com palavras simples, doces e puras
e que não soasse como reles lorotas

Pudera eu ser tão verdadeiro e nobre
não pulando mais que sete ondas
mesmo que usasse só de rimas pobres
e falasse do teu olhar, quando me sondas

Tivesse eu esse dom da simples poesia
e em versos cantaria todo meu ardor
somente com parcas letras te escreveria

Com o néctar doce e singelo duma flor
simplesmente poucas linhas te desenharia
com sete sílabas, “eu-te-a-mo-meu-a-mor”

7 comentários:

Sam disse...

e na simplicidade que me é amiga
embalo o dia na sua cantiga.

Que lindo, Joe.
Meu carinho
Samara Bassi

Daniela Delias disse...

Lindo, Joe!
Bjs

Joe_Brazuca disse...

obrigado, Poetisas !

um beijo !

Francisco Coimbra disse...

Musical, meu aplauso!

BAR DO BARDO disse...

o tom simples
cai bem

porque está sempre no cimo

gostei!

L. Rafael Nolli disse...

Sete sílabas, Joe, que dizem tudo!

Graça Graúna disse...

Uma beleza de cantiga! Parabens, meu querido Joe.