domingo, 24 de abril de 2011

segunda fiação

O mal não é criado por nós nem pelos outros,
nasce do tecido que fiamos entre nós
e que nos sufoca.

Merleau-Ponty


 de tudo o que dissemos
fiou-se o nada
vastidão sem tamanho

:

olhos, cem pálpebras


 hercília fernandes



*Arte disponível em Ideias Bizarras.

3 comentários:

Adriana Godoy disse...

Cem palavras. sem palavras...lindo. bj

Francisco Coimbra disse...

O poema ilustra uma visão onde sonho e mito se aliam em bela coesão! Gostei.

Roberta Mendes disse...

Quando o ponto deixa de fora a ponta da entrelinha que nos desfia e enovela. Tua costura de belo arremate.