domingo, 24 de abril de 2011

Retrato de um casal

1
Não tinham nada em comum.
Se se amavam era por ignorância.
Outra palavra excederia.

Sequer poderiam explicá-lo.
Se amor fosse, o que o tornava?
Cio talvez dissesse algo.

Mas não dizia, em absoluto.
Fica-se assim, acreditemos.
E damos por salvo o poema.

2
Ele. Por falta de aptidões
– feio de berço, crescido errado –
nada de melhor lhe ocorreria.

Ela. Por falta de anseios
– sentia senão cólica menstrual –
nada de melhor lhe ocorreria.

Um dia os caminhos se cruzaram
– dia qualquer, sem santo ou festa.
Nada de melhor, nada de melhor...

3
Nem tão bom haveria de ser.
O tanto que era não bastava –
havia fome e frio todo dia.

Sequer tão ruim chegaria a ser.
O tanto que era se suportava –
coisa que não chegaria a aleijar.

Nada de ambos haveria de ser.
O que quer que fosse assim o era –
um pouco de cada em doses diárias.

4
Até onde poderão ir ninguém sabe.
Manter-se vivo tem sido o bastante –
e a saúde vai sendo remediada.

Até onde poderão ir ninguém sabe.
Uma hora a voz ultrapassa o limite –
e dos socos se passa à faca.

Até onde poderão ir ninguém sabe,
um passo adiante devora a cerração –
e o poema perde a sua batalha.


Colagem de Max Ernst da série "A Semana da Bondade"

6 comentários:

Mah disse...

Mto bom simples, cotidiano e certeiro

Renata de Aragão Lopes disse...

Nolli,

que prazer ler mais um de seus textos!

Grande abraço!

Adriana Godoy disse...

Bom demais, Nolli. Valeu muito! Beijo

Francisco Coimbra disse...

Re_trato…
1 – a chegada ao poema
2 – a falta de expectativas
3 – a doses… doseando
4 – a conclusão inconclusiva
O poema perde a batalha depois da travar, trava-a e acontece, acontece e a conclusão leva a reler 1, 2, 3, e 4: o poema é um ovo, 1 casca, 2 clara, 3 gema, 4 atravessada cicatrícula.
Claro que dá sempre jeito saber como é feito, convite feito a seguir a ligação:
http://rafaelnolli.blogspot.com/2011/04/book-fotografico.html
Nolli, li e gostei do comentário feito pelo autor, sugiro a ligação ao blog.
Parabéns, abraço.

BAR DO BARDO disse...

Continue na luz, grafando-a.

Joseph James disse...

Fantastic blog