terça-feira, 19 de abril de 2011

Porta-retrato

Imagem por Luiza Maciel Nogueira
é agora que a chuva chora na minha vidraça
e me conta crônicas do seu tempo sem endereço.
eu, continuo desfolhando dias genéricos
e num gole de vento,
tomo como pílulas
o descalçar dos passos
e das folhas secas,
que dançam tango
no quintal das minhas lembranças
e cantam hoje, o inverno
das minhas saudades sem memória.

27 comentários:

Leonardo B. disse...

[o mundo que se renova, na magia das límpidas águas, aguaceiro em palavra... que se toma e se guarda, no peito pleno, o terreno fértil onde se aconchegam as memórias]

um imenso abraço, Sam

Leonardo B.

✿ chica disse...

Sempre encantadoras tuas poesias...Fico imaginando as folhas secas dançando tango nas tuas lembranças...

beijos, chica

Aleatoriamente disse...

Minha flor, só podia brotar essa flor de poema.
És linda Sam, tua essência borda com gosto a poesia.

Beijo querida.
Fernanda.

Sandra disse...

Maravilhosa poesia escrita por uma pessoa igualmente maravilhosa!
Adorei.
"a chuva chora na minha vidraça
e me conta crônicas do seu tempo sem endereço" Que coisa linda, linda, linda.
Beijos e parabéns!

Lara Amaral disse...

A chuva e o seu cair imprevisto, as folhas e o seu voar desatinado...

Lindo, Sam!

Beijo.

paulo disse...

A poesia tem disto, imaginar, viajar, sentir os sentimentos do autor e transpor-nos para a cena como personagens únicos, destacados e exclusivos.
Senti-me assim, SAM
Obrigado.

Beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

Que lindo Sam, quando as lembranças nos dançam na cabeça e anima o mundo ai redor com sua música, coisa que se vive, inventa um pouco mais. Já dizia Bachelard "a imaginação aumentar o real em um tom". Bárbaro e obrigada por colocar meu desenhinho ai no meio. :) beijoss

Luiza Maciel Nogueira disse...

Putz, como estou no ipad ele escreve tudo errado. Desculpas porisso, mas deu pra entender né? Um beijo.

Francisco Coimbra disse...

A poesia como crónica, dum momento que vem e fica ‒ Poesia, acolhe como o porta-retratos recebe o retrato e o mostra: algo que preenche e dá vida, finalidade, realidade, identidade, vida à finalidade do que nasce para não ter fim, suporte apenas, com o porte da imaginação, fantasia e pensamento ‒ de quem escreve uma escrita nela procurando canto. Canto que neste poema nos fala sem endereço, no destino dos versos, em quem os escreve, em quem os lê, directamente no destinatário.
«tomo como pílulas
o descalçar dos passos»
Não há receita para quem faz a medicação do que toma, ganha as as_as do sonho até…
«minhas saudades sem memória»
Sam, Parabéns! Bjs

Déya disse...

Ai Sam que belo verso...
Profundo foi o teu sentir...

beijo pra vc querida minha !

Anne Lieri disse...

Que legal a proposta do blog!Adorei conhecer a Samara e sua linda poesia!Voltarei mais vezes!Bjs,

Zil Mar disse...

Oi querida Sam...

Belo poema...lindas as palavras...

"das minhas saudades sem memória."

Amei!


bjo Flor!

Zil

Valéria Sorohan disse...

Sam,

A sua alma de poeta está sempre brotando poemas fortes, de sensililidade extrema. Meus parabéns!

BeijooO*

marlene edir severino disse...

belo teu quintal
de lembranças de folhas secas
estalando sob os pés,
barulho da chuva,
cheiro de vento...

Um beijo, querida!

Marlene

Lena disse...

Sam
Ameeeeei!
O tango das folhas secas é tudo de bom!
Muito legal a proposta do blog!
Feliz Páscoa, repleta de paz, amor e muito chocolate.
Beijos com muito carinho!

Maria disse...

Ola boa noite lindo poema mais me pareceu triste bjão fica bem

Vivian disse...

...que dom, meu Deus!

que maravilha esta intimidade
com a poesia que encanta!

Samara minha querida linda,
beijo-te a alma!

smacksssssssssssss

Cris de Souza disse...

sonoro feito a chuva que não cai no esquecimento.

belo!

(vim te conhecer de pertinho)

Marcio JR disse...

As saudades nunca brotam de falsas memórias, pois só sentimos saudades daquilo que foi bom e realmente marcou o coração.

Mas, deixe que a chuva chore por você, e molhe toda e qualquer vidraça da vida. Ela escorre, e seca depois. Enquanto isso, deixe brotar esperança dos teus olhos, deixe que eles corram atrás do vento. E se o vento te enlaçar e fazer rodar, rode e brinque muito, pois o mundo de Óz está ali na esquina, basta pegar carona num redemoinho, não é?

SAM, minha linda. Teus versos continuam convidativos. Como não interagir?

Bjs, mocinha.

Marcio

Nice Bacchini disse...

Lindo!! Adorei o final
"... no quintal das minhas lembranças e cantam hoje, o inverno das minhas saudades sem memórias".

Sam disse...

LEONARDO B. Meu querido, você sempre com suas aplavras tão bem "vestidas", obrigada por sua presença tão especial por aqui.

CHICA Obrigada minha joaninha preferida (depois da minha mãe rs) por seu carinho.

ALEATORIAMENTE Fezinha, minha flor de menina, tão bom tudo que você traz e faz ficar mais perto. Sua luz imensa é meu sol diário. Obrigada por vir.

SANDRA Minha querida, a maravilhosa aqui é você, com sua escrita fantástica, intensa e sempre tão instigante. Adoro.
Obrigada por vir também.

LARA AMARAL E tudo dança ritmado no tempo. Obrigada pela presença, minha querida.

PAULO Que bom que posso carregar pessoas queridas pra dentro das minhas "histórias". É isso, essa troca constante. Obrigada por vir, querido.

LUIZA MACIEL NOGUEIRA Obrigada querida por sua presença e palavras. E sei que fui muito feliz em minha escolha para ilustrar minha estréia por aqui. Teus desenhos são lindíssimos e os utilizarei demais, tenha certeza rs.
Meu beijo.

FRANCISCO COIMBRA Mas pra você eu tiro o meu chapéu, com sua sensibilidade de analisar profundamente cada linha, cada verso e entrelinha. Me surpreendeu. Parabéns digo eu para você. Obrigada pelo carinho

DÉYA Bom ter você por aqui, a me aompanhar, querida. Meu beijo.

ANNE LIERI Muito bacana mesmo né? me apaixonei no primeiro instante. Obrigada pelas bonitas palavras.

ZIL MAR MInha linda, você é uma presença que não poderia faltar! Meu carinho, minha lindeza!

VALÉRIA SOROHAN Somos todos um germinar constante. Que te-la por aqui, Val. Beijos.

MARLENE EDIR SEVERINO Sua presença sempre me traz uma brisa leve, um além do quintal e dos sorrisos como os teus. Meu carinho.

LENA minha bonita, que bom você por aqui, a dançar comigo rs. Meu carinho.

MARIA Cada olhar, uma interpretação, não é mesmo, querida? Meu beijo e obrigada pela bonita presença.

VIVIAN Minha lindeza dos olhos cor de céu, te-la por perto é sempre um presente bem vindo. Obrigada querida.

CRIS DE SOUZA Nao cai nao, Cris. Que bonita definição.

MARCIO JR Meu querido, sempre com suas palavras tão bonitas e vestidas de um carinho profundo. Me da vontade de levar a sério sempre essa brincadeira de ser freliz rs... Meu carinho, amigo. Obrigada por vir.

OBRIGADA À TODOS QUE AQUI ME PRESENTEARAM E QUE AQUI AINDA CHEGARÃO. MEU CARINHO SINCERO À CADA UM DE VOCÊS.
SAMARA BASSI

Sam disse...

NICE Obrigada pela presença. Meu carinho.

Jão disse...

dias de chuva
nostalgia
angustia
saudade do que passou
dia cinza
inverno
ventania
folhas caem no quintal


Lindo Sam,

Beijos

Sam disse...

JÃO Nessa mistura de emoções e sentimentos, que permaneça sempre a alegria e dias com sol. Obrigada por vir, querido. Meu beijo.

BAR DO BARDO disse...

auspícios
e o vento faz o trabalho
mas sem rotina

IMS disse...

De prima! Continue...

O mundo de Dani disse...

..Perdidas estas de tão perdidamente sozinha, as gotas que derramam por ti na vidraça são frias, se desmancham como o gelo..
E as folhas tentam dançar o tango do outono para amenizar a saudade sem memória, ser dor, mas sem memória.

Belíssima poesia!
Parabéns!