terça-feira, 29 de março de 2011

O Menos Vendido


Custa muito
pra se fazer um poeta.
Palavra por palavra,
fonema por fonema.
Às vezes passa um século
e nenhum fica pronto.
Enquanto isso,
quem paga as contas,
vai ao supermercado,
compra sapato pras crianças?
Ler seu poema não custa nada.
Um poeta se faz com sacrifício.
É uma afronta à relação custo-benefício.


Ricardo Silvestrin


(do livro: "O menos vendido". editora: Nankin Editorial.)


3 comentários:

Sam disse...

é aquele que conta estrelas enquanto os que dormem, o fazem pra esquecer das contas.

Que bonito, Márcia.

Adorei.
Meu beijo.

Henrique Pimenta disse...

Bom conhecer.

marcos disse...

Sorte mesmo teve Horácio.