sábado, 8 de janeiro de 2011

Disforme


Visto a loucura com palavras lapidadas,
eu sei,
sou híbrida, mezzo-sicrana,

talvez
filha bastarda de Ana Cesar
com Quintana,

lápis-lazúli pichado com spray.


(poema publicado no meu blog em  22 de outubro de 2010)

10 comentários:

Kiro Menezes disse...

És uma belissima escultora!

Tens o toque suave de dama com a força de Aleijadinho, diferindo na materia lapidada...

Com carinho...

BAR DO BARDO disse...

Quintana é original. Simples e erudito. Bom pai. Já Ana C., a suicida, deixaria descendentes?... No meu entender foi apenas uma invenção da mídia - que sempre se enternece com tragédias. Não, não adianta morrer cedo, embora saibamos que a vida seja uma perda de tempo desgramada.

João Luis Calliari Poesias disse...

Quint e Ana...belo contraste...Dez anos à mil ou mil anos à dez..A escolha é do leitor e da poetisa.Gostei.João Luis

evandro mezadri disse...

Belos pais, grandes influências.
Gostei da fusão.
Abraço e sucesso!

André HP disse...

palavras bonitas. ficou bonito, mesmo.

abraço, poeta.

L. Rafael Nolli disse...

A fusão já vale o poema, Flá!
Gostei!

Leo Curcino disse...

muito bonito isso!

Flá Perez (BláBlá) disse...

obrigada pessoal!


bjbjbjbj

Joe_Brazuca disse...

como sempre, esplêndida, no mínimo...

ótima !

Tomaz disse...

Loucura com palavras lapidadas, isso é bem a minha praia, vou prestar mais atenção ein ! hehehe

Abração !