sexta-feira, 10 de setembro de 2010

pulsa-me




PULSA-ME

Sou o pavio interminável
A fibra que estanca o frio
Rebrota a saudade
Em sua retina
Que chora
Quente promessa
Gotas próximas
de amanhãs
Intermináveis...


cintia thome










Imagem A. Hernandez site Olhares - divulgação autorizada


Imagem: NãoSouEuéaOutra - Olhares

4 comentários:

Albuq disse...

ahhhhhhhhhhh Cinthia que lindo... achei tão vivo, perfeito!

NDORETTO disse...

Querida, há quanto tempo não lia a sua poesia!!! (Tantas águas rolaram, mas eu não me afoguei)Eis-me aqui, sua fã como sempre.

O Alcanu quer que vamos ( eu e você)a São Paulo, assistir a espetáculo de poesia, num teatro de bolso da rua Dr. Vila Nova.

Vai mandar duas cordas bem fortes para nos puxar. Oras, veja você, por que não? ( junto ou separado?rsrsr)

Beijos!
Neusa

lis disse...

Que lindo poema
promessas de amanhãs ... isso dá algum alento.
gosto daqui, um lindo recanto de poetas.
Parabéns Cintia thome

Lila Boni disse...

Coisa mais linda do mundo!!!!! Levei comigo!!!!
Mil beijos !!!!!

No meu blog agora: http://lilaboni.blogspot.com