segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Inalante



meu sonho de menina
parece de éter agora:
me alucina
e se evapora


Renata de Aragão Lopes


Poemeto publicado em 2 de agosto no Doce de Lira.

4 comentários:

Francisco Coimbra disse...

Poesia breve, como espero nela tenha sido a tristeza... inalada! Parabéns

Vera Pinheiro disse...

Com tanta sabedoria e beleza não é preciso dizer muito para sensibilizar. Amei!

L. Rafael Nolli disse...

Renata, poder de síntese ao fazer o retrato de uma vida (de menina). Sensível, breve como um suspiro.

André HP disse...

Respiro sufocante!