sexta-feira, 23 de julho de 2010


Lua Urbana


Tem uma lua pendurada na minha janela
Uma lua pálida e urbana
Uma lua distante
Vejo como me vê
Indiferente
Eu sentada sobre meus problemas
Ela sozinha num céu sem enfeites
Somos ambas metáforas de algo
Só que esqueci de que
E ela também.

4 comentários:

Albuq disse...

Talvez sejam metáforas da vida, apenas vida que se encarregou de as fazer esquecer...

Tão suave e doce, lindo.
bjs

Hercília Fernandes disse...

Lindo seu poema, Cintia.
A lua se apresenta iluminada em seus versos, apesar do que assegura o eu-lírico.
Beijos com carinho,
H.F.

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Helena! Maravilha de poema!

Maurélio disse...

Graciosa e enternecedora sua poesia Helena