quinta-feira, 29 de julho de 2010

Ciclo

Calor de colo
colo de mater
maternidade.
A tenra idade
e o fenecer.

Labor ao solo
solo que é colo
e sepultura...
A morte e a cura
vão nos valer.

6 comentários:

Victor Meira disse...

Lindo, terno, conciso.

Albuq disse...

Muito suave e verdadeiro teus versos. lindo. bjs

L. Rafael Nolli disse...

Belo poema!

Renata de Aragão Lopes disse...

"solo que é colo
e sepultura"

Incrível isso!

Beijo,
Doce de Lira

tenório disse...

estou com a renata:

solo que é colo e sepultura,

digno de um neruda.

muito belo!

Lírica disse...

Agradeço,emocionada, a todos!