quarta-feira, 9 de junho de 2010

QUÊCÔCÊACHA? (do andar de cada coisa)

da boca de minha alma
caiu um pedaço de calma

abraçado à generosidade, a sorrir
o coração tarda, mas não falha.

4 comentários:

Marcelo Vinicius disse...

Muito legal o blog. Tem vários textos bonitos! Belos poemas! Vou seguí-lo!

Se puder, acesse o meu também: www.marcelovinicius.com

Abraços!

Lara Amaral disse...

Lindo poema!

Renata de Aragão Lopes disse...

"do andar de cada coisa"

Interessante!
Beijo,
doce de lira

Cíntia Thomé, Jornalista, Poeta . disse...

cleber...adorei teus versos...limpos e diretos, mas a penasr...pensar...
parabens ab