domingo, 2 de maio de 2010

Com licença....

 
Não se mate...

Fatima, sossegue, isto é o amor.
Hoje escanteio
amanhã beijo roubado
sábado e domingo é solidão
 e segunda feira dia de ir pro trabalho.

Nunca resisti ao amor
e nem tampouco ao suicidio.
Mas não vou me matar,oh não vou!
Reservo-me para mim mesma
e renuncio às bodas
sejam elas quais forem.

O amor, Fatima, o que é o amor?

A noite me invadiu e a manhã
me pegou sentada, desamparada
inventando uma oração
sublimando a ressaca
sem vitrolas e anúncios
rezando pra São Carlos
que me dê inspiração
nem sei pra quê
...
Entretanto aqui estou eu
sentinela e renitente.
Sem ser palmeira, sigo orquidea.
Sempre preferi as flores às arvores de folhas bobas.
Não sou grito, minha timidez não deixa.
O amor no escuro ou no claro
é o que quero
E se ele for triste não me importo
já me acostumei com este embaraço.

6 comentários:

Mistério do Planeta disse...

ai, estou feito Fatima hoje.

Alê Ferraz disse...

... "sublimando a ressaca"...
e haja água, engov e mandingas.

Lindo. Obrigada.

Betty Manousos:cutand-dry.blogspot.com disse...

Have a great week ahead!
Betty

TON disse...

Versos da poetisa para a mulher?
Reflexos de solidão?
Também em menina?
Muitas em várias que só cabem na alma feminina.
Doce leitura da manhã.

Victor Meira disse...

Que coisa linda, Fafi! E que sintonia, hein? Você tem verso que pergunta o que é o amor, eu tenho alguns que explicam (ao menos um dos mil amores que existem).

Seu poema é lindo.

Diario da Fafi disse...

Bem deixa eu explicar. "Com licença´" é uma resposta poética a um belo texto do Carlos Drummoind chamado "Não se mate", por isso evoco por São Carlos no fim do poema. A Adélia já havia feio isso em " Com Licença Poética " onde ela também responde aos versos do mesmo drummond.

carinhos a todos