segunda-feira, 26 de abril de 2010

Paciência

Ah, quando... (respira)
Sempre quis... (inspira)
Você nunca... (vomita)
Eu podia... (evita)

É hoje... (incita)

Se estiver... (irrita)


Por mim... (suspeito)



Para ti... (respeito)





Em nós... (amor)

6 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Interessante, Pedro!

As frases acompanhadas
dos movimentos respectivos.

Um abraço,
doce de lira

Alê Ferraz disse...

Em mim... (suspira)

Gostei. Tanto...

Obrigada!

Joe_Brazuca disse...

massa, Pedro !

abraço

Pedro Xudré disse...

Esse poema me partiu num dia em que relembrava a relação homem/mulher e ser humano/ser humano e o quanto precisamos nos transpôr e reduzir nossa arrogância em pró do outro, em amor ao outro.

Muito obrigado Renata, Alê, Joe e todos que leram.

Victor Meira disse...

Boa, Pedrola!

Cíntia Thomé, Jornalista, Poeta . disse...

Pedro...esses movimentos e sentires são bacanérrimos.
Adoro poesia que vacila no jogo físico e no onírico...
abs