sábado, 13 de março de 2010

besame


queria
escrever o poema da paz

e te perdoar

andar na areia
no centro
da movediça

andar em ti
mandar beijos
sofrer

um beijo daqueles
decente
que se possa chamar de beijo
queria te mandar
pra mim

se te perdoasse

samuca santos
cabogato, px, olinda
2010
***
imagem aqui
***
ps. não prometo, mas vou tentar ser mais presente...

10 comentários:

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do blog Refelxões e outras divagações. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Eu sei que é um abuso da minha parte te mandar essa propagando control c control v, mas sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas no blog do José, ela inclusive é seguidor do meu blog, claro que ele faz isso mais por gentileza do que pela qualidade do meu texto, mas estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs


Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

L. Rafael Nolli disse...

Samuca! Sempre acertando no alvo! Muito bom, meu camarada!

Barone disse...

Gostei, Samuca.

Francisco Coimbra disse...

Há todo um percurso, fica a necessitar ser refeito com o último verso. Há a insistência do título, da rendição à sedução: um horizonte amplo para a poesia deste poema! Gostei.

Adriana Godoy disse...

Samuca, golpe certeiro. muito bom! beijo.

samuca santos disse...

gratíssimo!
a todos.
francisco, muito pertinente. ainda estou com a vidinha complicada, mas...
vamos tentar, mais uma vez.
ou como diria o raulzito: "não pense que a canção está perdida/se é de batalhas que se vive a vida/vai, tente outra vez!"

abraços a todos.

Francisco Coimbra disse...

A SAUDADE FALA DE VOCÊ

hoje quero dizer
o que ontem terei esquecido
lembrando agora não ter dito
o que quero lembrar

não tem dia seguinte
quando a saudade fala de você
olhando estás em tudo que se vê
pois és a minha vida

(poema para não ter que mandar,
mas que sempre saberei receber?)

Desculpa a ignorância, me dá as referências:
"não pense que a canção está perdida/
se é de batalhas que se vive a vida/
vai, tente outra vez!"
Abraços.

Vera Pinheiro disse...

Um beijo decente pelo belo poema!

Cíntia Thomé, Jornalista, Poeta . disse...

Samuca...essa areia movediça...parece que estou no centro de São Paulo...que lindo
queria escrever assim , tive um momento meu lendo o seu poema
Adorei, bárbaro!

Joe_Brazuca disse...

Samuca, amigo das letras...

seu peoma é tocante, como sempre !

excelente !

abs