sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Pé de cana


Vento vai,
vento vem,
pé de cana vai e vem também.
Folhas verdes, grandes gomos,
caule doce a balançar.
Verdes folhas vão dançando,
pé de cana a bailar,
baile, balé do pé de cana.
Sol ardente, vento vai,
pé de cana vai também.
Sombra fresca, vento vem,
este baile lhe convém.

4 comentários:

Léo Santos disse...

Este é um poema divertido, haja vista que basta trocar a foto do canavial por a foto de um bêbado dançante para termos uma nova e engraçada perspectiva!

Desculpe! Um abraço!

Flávio Otávio Ferreira disse...

rsrsrs...concordo plenamente!!!
A visão que todos têm deste poema é justamente esta! Porém, ne passou pela minha cabeça a imagem condizente com tal situação!!! rsrsrs...abraço!

Vera Pinheiro disse...

Ai, ai, fiquei tontinha! Mas gostei muito, Flávio.

Cíntia Thomé, Jornalista, Poeta . disse...

A dança do canavial junto ao vento é um espetáculo
Como morei anos e anos em Rib.Preto sei o que é sentir
essa ança magistral
Parabens abab