quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Abrindo a Porta

Assim...
Inesperado e certeiro.
O imponderável se derrama
sobre a noite e eu,
na improvável alegria
do amor,
me abstenho da vida,
da lida
e de tudo o que julgava vital.

Só poderia ser assim,
aviltante e febril,
ante à minha rotina vil,
que se repetia sem limite.
E o improvável palpite
de ter-se alguém
junto às manhãs,
se faz verdade.

E meu riso
outrora tão virtuoso,
se redescobre
agora viçoso,
nas auroras da alma.
E na calma de quem
enfim se permite,
transponho meu limite
e me descubro,
assim,
te amando.

9 comentários:

Adriana Godoy disse...

Muito bonito, uma declaração de amor extremamente bem conduzida. parabéns!

Lírica disse...

Oh, que lindo...
Fiquei encantada.
Literariamente: estilo equilibrado. Mas pra falar só com a emoção: acolhedoramente sedutor.

Francisco Coimbra disse...

TUDO

este abrir da porta
para a palavra
e entrar

nós as palavras
e elas tudo

transportando assim
Assim

NADA

eu quando te ouço
lendo as ditas
palavras

sinto coisas
simples

em Beleza & Poesia
Mim

Parabéns!
Francisco

Victor Meira disse...

Boa, Lobone.
Deixa essa porta escancarada!

Francine disse...

Oi, estou passando para avisar que estou reformulando meus blogs e convido-o para participar do mais novo blog, feito especialmente pra falar de amor: http://palavrascomacucar.blogspot.com
espero a sua visita! abraços...

Barone disse...

Muito bonito.

tenório disse...

Belíssimo. Declaração de amor com estilo, sem facilidades e obviedades. Parabéns!

Vera Pinheiro disse...

Todo lindo! Parabéns, Lobone!

Cíntia Thomé, Jornalista, Poeta . disse...

Poema delicado, gostei muito dessa forma de expressar sua...
Parabens ab